A Folha de São Paulo divulgou no domingo (19) os resultados do Ranking de Eficiência dos Estados – Folha (REE-F), ferramenta elaborada pelo jornal pelo Datafolha que elenca os estados que entregam os melhores resultados em educação, saúde, infraestrutura e segurança, utilizando o menor volume de recursos financeiros.

A boa notícia é que o Paraná ocupa a terceira posição no ranking. Em uma escala que vai de zero a 1, o índice REE-F do Paraná foi de 0,533, atrás de Santa Catarina (0,635) e de São Paulo (0,574). Apenas cinco das 26 unidades da federação atingiram índice igual a superior 0,5 e foram consideradas eficientes. Completam a lista dos cinco primeiros do ranking os estados de Pernambuco e Espírito Santo.

Das seis categorias avaliadas no ranking, o Paraná apresentou o segundo melhor resultado em educação, com um índice de 0,752. A média brasileira na área foi de 0,463. O Estado também tem a terceira melhor infraestrutura do País e fica em quarto lugar na área da saúde.

A realidade é que temos muito a comemorar. Esses resultados são fruto do ajuste fiscal que aprovamos em 2015. Apesar de todas as críticas, especialmente da oposição e da imprensa, o ajuste fiscal deu certo e hoje o Paraná se destaca nacionalmente como um Estado equilibrado, que paga as contas em dia, amplia os investimentos e melhora a qualidade de vida dos paranaenses.

Os dados do relatório da Instituição Fiscal Independente (IFI), do Senado. divulgados em abril deste ano, revelam que o Paraná lidera o crescimento em investimentos no país. O estado cresceu 16,1% entre 2014 e 2017 em investimentos. 25 das 27 unidades da federação cortaram investimentos. As exceções foram Paraná e Rondônia.

Em 2017, o Governo do Paraná mais que dobrou o volume de investimentos contratados e fechou o ano com um volume recorde de R$ 3,67 bilhões, 132% maior que o registrado em 2016 (R$ 1,58 bilhão). O volume, somado ao das estatais e demais poderes, alcançou R$ 6,8 bilhões em 2017, com crescimento de 17% em relação ao ano anterior.

O Estado nunca investiu tanto. Os recursos foram destinados para as mais diversas áreas, com destaque para infraestrutura, saúde, educação, segurança e melhorias nos municípios.

A Secretaria de Infraestrutura e Logística, por exemplo, realizou em 2017 investimentos totais de R$ 1,4 bilhão. Deste montante, quase R$ 1 bilhão foi destinado para obras de conservação de rodovias.

A malha estadual paranaense, com mais de 12 mil quilômetros de estradas, recebeu serviços de recape da camada asfáltica periódicos em todas as regiões do Estado.

O ex-governador Beto Richa deixou um Estado equilibrado e com dinheiro em caixa à governadora Cida Borghetti. Cida é uma gestora competente e está comprometida com o desenvolvimento de todas as regiões do Estado.

As obras e investimentos não param. A Copel investiu R$ 1,27 bilhão no primeiro semestre deste ano, conforme o balanço da empresa. O investimento foi feito, principalmente, na melhoria e expansão da rede elétrica para o atendimento à população O programa de investimentos da Copel para este ano é de R$ 2,9 bilhões. Entre as obras em andamento destacam-se 16 novas subestações, a construção da Usina Baixo Iguaçu e a linha de transmissão Curitiba/Blumenau.

No dia 15, a Secretaria de Infraestrutura anunciou a licitação para elaboração do projeto de duplicação do Lote 1 da Rodovia da Uva (PR-417), na Região Metropolitana de Curitiba. Já está em andamento a duplicação de 6,2 km da Rodovia da Uva, entre o Contorno Norte de Curitiba e a Rua Orlando Ceccon, no Centro de Colombo. A obra no Lote 2 foi retomada no último mês de maio. Neste trecho, o investimento é de R$ 32 milhões, com recursos do Banco do Brasil.

As empresas também reconhecem que o estado está em situação privilegiada. Em abril, a Volkswagen anunciou um investimento de R$ 2 bilhões na fábrica de São José dos Pinhais. Agora em agosto, a Klabin confirmou os investimentos de US$ 2 bilhões em nova fábrica integrada de celulose e papel para embalagens no estado.

O Paraná segue firme e forte!

Boa Semana! Paz e Bem!

*Luiz Cláudio Romanelli, advogado e especialista em gestão urbana, ex-secretário da Habitação, ex-presidente da Cohapar, e ex-secretário do Trabalho, é deputado pelo PSB.