Deputados repercutem declarações de Romanelli sobre ações da Quadro Negro

As declarações do líder do Governo na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), na sessão plenária desta quarta-feira (20), no que ele classificou de “conluio” entre a Construtora Valor e servidores da Superintendência de Desenvolvimento Educacional (Sude), no caso da chamada Operação Quadro Negro, que analisa suspeitas de irregularidades em aditivos na construção de escolas estaduais, repercutiram entre diversos parlamentares.

Romanelli apresentou em discurso na tribuna uma série de documentos que respondem a requerimento formulado pela oposição a respeito da responsabilidade do govenador Beto Richa na assinatura de aditivos para obras no Colégio Ribeirão Grande, em Campina Grande do Sul, Região Metropolitana de Curitiba. O líder do Governo falou de toda a longa escala pela qual passa a análise dos documentos até chegarem às mãos do chefe do Poder Executivo.

O deputado Rasca Rodrigues (PV), que foi secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná (SEMA) na gestão do ex-governador Roberto Requião (PMDB), afirmou que a assinatura de aditivos chega ao chefe do Executivo apenas após passar por uma série de instâncias técnicas. “Eu fui chefe do Departamento de Obras do governador Requião e cheguei a acompanhar 1.700 obras por mês, entre reformas, escolas novas e o procedimento é o mesmo de lá até aqui. Qual governador não assinaria após passar por todas estas instâncias? ”, indagou.

Deputado Hussein Bakri (PSD)

De acordo com Rasca não se pode responsabilizar o chefe do Executivo pela assinatura dos aditivos que passaram por instâncias jurídicas e técnicas prévias. Segundo ele, se está responsabilizando a ponta, quando se devia responsabilizar a origem. “Porque isso não aconteceria se não tivesse um conluiou na origem, entre o engenheiro, o diretor, o fiscal”, explicou. “É muito pesado para um gestor público, não só um governador, quanto um prefeito também, quando ele assina”, afirmou.

Na mesma linha o deputado Hussein Bakri (PSD), vice-líder do Governo na Alep, defendeu o governador por ter assinado aditivos sobre as obras que hoje são objetos da Operação “Quadro Negro”. Hussein foi prefeito do município de União da Vitória por dois mandatos. Ele também falou das diversas instâncias pelas quais passam a análise de aditivos de obras. “O Romanelli fez com toda a tranquilidade uma exposição muito clara e eu vou responder aqui uma pergunta do Romanelli, até porque eu já fui prefeito: se passasse por este crivo, de todas estas pessoas, eu também assinaria. Como o governador assinou e como o Rasca, que é um deputado independente, disse que também assinaria”, afirmou.

Santa Cruz de Monte Castelo terá mais R$ 2 milhões para pavimentação

_DSC0448O município de Santa Cruz de Monte Castelo, no Noroeste do Paraná, terá mais R$ 2 milhões liberados para obras de pavimentação asfáltica. O convênio foi assinado na manhã de hoje (14), no Palácio Iguaçu, em Curitiba, pelo governador Beto Richa, pelo deputado estadual Luis Claudio Romanelli e pelo prefeito Zé Maria.  Os recursos são das linhas Sistema de Financiamento dos Municípios (SFM) e Programa de Apoio à Aquisição de Máquinas e Equipamentos Rodoviários para Prefeituras (Promap II), gerenciados em parceria pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Fomento Paraná.

O convênio faz parte de um pacote de obras de pavimentação e recape asfáltico, calçadas, reforma de ginásio, de hospital e construção de capela mortuária, compra de equipamentos rodoviários e outras melhorias para 39 municípios, de todas as regiões, farão com recursos financiados pelo Governo do Estado. O investimento soma R$ 60,5 milhões. O governador Beto Richa recebeu os prefeitos para autorizar e homologar licitações. Do total de recursos, R$ 13,5 milhões são de novos contratos, que no mesmo encontro, foram firmados pela Fomento Paraná com nove municípios.

O governador afirmou que a liberação de recursos para infraestrutura urbana e viária e para aquisição de equipamentos é uma rotina no Paraná e demonstra o cunho municipalista da administração. “Entendemos que precisamos investir nas cidades onde as pessoas vivem para garantir qualidade de vida a todos, ainda mais neste momento de profunda recessão econômica, com redução brutal das arrecadações pelas administrações públicas”, disse ele. Richa destacou que o governo estadual se faz presente no momento em que o governo federal diminui os repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que é a principal fonte de receita para as cidades com até 50 mil habitantes. “Mais que nunca o nosso governo apoia as iniciativas nos municípios para garantir mais infraestrutura e, consequentemente, vida melhor aos paranaenses”, completou.

O deputado Romanelli destacou que com os convênios assinados hoje o Governo do Paraná bate um recorde histórico de financiamentos municipais pela Fomento Paraná”. “São R$ 1 bilhão em financiamentos de obras e aquisição de máquinas e equipamentos para atender aos municípios paranaenses desde 2011, o que confirma o apoio do governador Beto Richa para atender a demanda de infraestrutura e o desenvolvimento das cidades”, disse.

Parceria – Os prefeitos destacaram a importância da parceria com o governo estadual para executarem obras reivindicadas pela população. Em Francisco Beltrão, no Sudoeste do Paraná, os recursos de mais de R$ 3,7 milhões, contratados junto à Fomento, serão destinados para a construção de uma ponte que ligará o bairro Cristo Rei ao Centro da cidade, beneficiando de 30 mil a 40 mil pessoas. “Não conseguiríamos fazer esta obra sem este financiamento. Durante a gestão do governador Beto Richa, tivemos várias obras em nossa cidade, que estão colaborando muito para melhorar a vida da população de Francisco Beltrão e de todo o Sudoeste do Paraná”, afirmou o prefeito Antonio Cantelmo Neto.

Para o secretário do Desenvolvimento Urbano, Ratinho Júnior, os repasses estaduais contribuem com os municípios que não têm recursos próprios. “Fechamos o ano de uma forma muito positiva. Mesmo com esta crise que o Brasil vive, o Paraná atinge um grande volume de repasses aos municípios”, disse. “É uma parceria muito sadia que, cria empregos nas cidades e ajuda os municípios a se desenvolverem e melhorar a vida das pessoas”, destacou Ratinho.

Santa Casa de Colombo é reaberta com investimentos

Santa Casa de Colombo 3
Prefeita Beti Pavin e secretário Fernando Aguilera assinam o termo de reabertura da Santa Casa de Colombo.

Aos poucos, a Santa Casa de Colombo voltará a atender plenamente. Na manhã desta segunda (23), após três anos e meio, período que envolveu diversos impasses judiciais, aconteceu o primeiro atendimento. A reabertura ocorreu graças a uma autorização, com aprovação do Ministério Público, que dá a permissão ao município de Colombo firmar convênios e, assim, reabrir a instituição, caso do realizado com o Governo do Paraná, que repassou R$ 1 milhão para a a equipação da Santa Casa.

_DSC0146
Deputado Romanelli, prefeita Beti Pavin e secretário estadual da Saúde, Michele Caputo, tratam da parceria com o Governo do Paraná para reabertura da Santa Casa de Colombo.

A prefeita Beti Pavin, destacou a unidade de pessoas e entidades para que a Santa Casa de Colombo voltasse a funcionar. “Somente com esta união de forças entre o poder público, inciativa privada, a comunidade, muito trabalho e vontade, é que podemos devolver a Santa Casa para os colombenses”, concluiu.

Os atendimentos serão feitos em três etapas. Nesta primeira, serão realizados atendimentos ambulatoriais de clínica médica, Na segunda, realização de exames mais complexos e, por fim, a reabertura do pronto atendimento.

O fato de a Santa Casa ter sido interditada fez com que a instituição perdesse o status de hospital, o que deve ser recuperado com vistorias do Conselho Regional de Medicina do Estado (CRM), conforme explica o Secretário da Saúde de Colombo, Fernando Aguilera. “Todo este processo já está sendo realizado. O deputado Romanelli já está tratando da questão para que o contrato com o Estado seja realizado”, pontuou.

Para o deputado Romanelli, a volta da Santa Casa de Colombo tem um significado imenso não só ao município, mas para todo a Região Metropolitana de Curitiba. “É muito gratificante ver este momento após meses de trabalho duro e que não para por aqui. Nós vamos continuar trabalhando para que a Santa Casa de Colombo se transforme numa entidade que seja referência em todo o Paraná”, disse o parlamentar.

 

Santa Casa de colombo 2

 

Trabalho – Romanelli destacou o trabalho da prefeito Beti Pavin, do secretário Aguilera e dos vereadores Doliria Strapasson e João Marcos Berlese. “Foram parceiros fundamentais e sensíveis a esta demanda que não temos dúvida vai melhorar muito o atendimento à saúde na cidade”, frisou.

Da mesma forma, Romanelli agradeceu ao secretário estadual de Saúde, Michele Caputo, e ao governador Beto Richa pelo trabalho em prol da saúde em Colombo. “O secretário Caputo se empenhou pessoalmente na questão da reabetura, não deixando que questões pequenos pudessem atrapalhar. Já o governador Beto Richa garantiu que o governo do Paraná irá ajudar mensalmente a Santa Casa”, concluiu.