Sancionada a lei que permite venda e consumo de chopes nos estádios paranaenses

A lei que permite a venda e consumo de cervejas e chopes nos estádios de futebol do Paraná, foi sancionada na manhã desta segunda-feira (25) pelo governador do Estado, Beto Richa (PSDB). O projeto foi aprovado pelos deputados da Assembleia Legislativa com 24 votos a favor e 20 contrários.

De acordo com a lei que entra em vigor após ser publicada no Diário Oficial, a comercialização e o consumo de chope nos estádios ou arenas desportivas sejam permitidos desde a abertura dos portões para acesso do público até o término do evento. “O controle da ingestão do álcool é necessário e fundamental, por isso o projeto prevê a venda em locais específicos nos estádios e com horários predeterminados. E permite apenas a comercialização de cerveja e chope, bebidas de baixo teor alcoólico”, esclareceu o deputado Luzi Claudio Romanelli, autor da lei sancionada.

Ainda de acordo com Romanelli, a proibição de cerveja nos estádios não reduziu a violência nos últimos nove anos. “O comportamento de determinadas torcidas e indivíduos é violento por si só e isso independe de se consumir ou não álcool. É notório que a violência que envolve os jogos de futebol ocorre antes e depois dos jogos, em encontros fortuitos ou programados entre torcedores rivais e são raros os casos em que os atos de agressão entre os torcedores acontecem durante a partida, dentro do estádio”, argumentou.

A lei também determina que 20% das cervejas vendidas sejam produzidas artesanalmente no Paraná. “É abrir espaço para que nosso produtores entrem neste mercado ainda restrito. Gerará mais emprego e renda, além de permitir que produtos paranaenses sejam valorizados, o que é importante para nossa economia”, disse o líder do governo.

Venda de cerveja nos estádios do Paraná é aprovada

A Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) aprovou, em terceira discussão, por 23 votos favoráveis, 16 contrários e três abstenções, o Projeto de Lei nº 50/2017, que libera a venda e o consumo de cerveja nas arenas desportivas e estádios de futebol do Paraná. O projeto passará ainda por uma votação de redação final antes de seguir para sanção do governador Beto Richa.

De acordo com o deputado estadual Luiz Claudio Romanelli (PSB), um dos autores da proposta, a proposta garante o direito do torcedor que vai ao estádio para lazer e por admirar o esporte. “O interesse disso é justamente do torcedor que, pacificamente, acompanha seu time e o esporte como um todo”, disse. “É notório que aqueles que causam a violência vão aos jogos só para isso e é sobre isso que tem de prevalecer o combate”, completou, em resposta às críticas ao projeto.

Segundo determina o projeto, apenas cerveja e chope poderão ser vendidos nas arenas esportivas, sendo comercializados em copos plásticos, descartáveis e caberá ao responsável pela gestão do estádio definir os locais de venda. Bebidas alcoólicas, sejam elas destiladas ou fermentadas, continuam proibidas.

O projeto também prevê que o torcedor que promover desordens, tumultos e violência ou adentrar no recinto com substâncias não permitidas estará sujeito à impossibilidade de ingresso ou afastamento do recinto esportivo, conforme está previsto do Estatuto do Torcedor – Lei Federal 10.671, de 15 de maio de 2003.

“Também vale ressaltar que a entrada de pessoas nos estádios portando qualquer tipo de bebida alcoólica é também proibida, assim como é indiscutivelmente proibida a venda das bebidas alcoólicas a menores de 18 anos. O fato é que vários estados já liberaram a venda de cerveja nos estádios e os torcedores consomem bebida alcoólica no entorno das arenas esportivas. O consumo de cerveja dentro dos estádios não torna ninguém marginal ou criminoso”, explicou o líder do governo.

Microcervejarias – O projeto aprovado nesta terça acolheu duas emendas. Uma para liberação apenas durante os jogos, outra para venda apenas em pontos fixos e uma proposta que prevê a venda de 20% de cerveja artesanal paranaense.

“Foi uma adição importante pois vai permitir que o setor de microcervejarias seja amplamente divulgado e fomentado, o que vai gerar receita e empregos em diversos municípios que vem se firmando como exemplos de pólos de cervejarias artesanais para o Brasil todo”, disse Romanelli.

CCJ aprova projeto que permite a venda de cerveja nos estádios do Paraná

 

cerveja-liberada-estadios-futebol-mgA Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Alep aprovou a constitucionalidade e legalidade do projeto de lei que regulamenta a venda e consumo de cerveja e chope nos estádios em dias de jogos de futebol no Paraná, apresentado pelo deputado estadual Luiz Claudio Romanelli (PSB), líder do governo na Assembleia Legislativa.

De acordo com Romanelli, a venda será permitida desde a abertura dos portões para acesso do público até o término do evento. “É um direito do torcedor e sabemos que o problema da violência dos estádios não é culpa da cerveja”, disse.

As únicas bebidas que poderão ser vendidas e consumidas nos estádios são cerveja e chope. Outras espécies de bebidas alcoólicas, sejam elas destiladas ou fermentadas, continuarão proibidas. “A venda de cerveja ou chope deverá ser feita em copos plásticos, descartáveis e caberá ao responsável pela gestão do estádio definir os locais de venda”, explicou Romanelli.

O líder do governo destaca que o torcedor que promover qualquer tipo de desordem, tumulto e violência, será expulso do local e estará sujeito
à impossibilidade de ingresso, afastamento do recinto esportivo e/ou à pena de reclusão de um a dois anos, que pode ser convertida em impedimento em comparecer às proximidades do local pelo prazo de três meses a três anos. “A fiscalização e orientação da segurança nos estádios permanece forte com este projeto”, afirmou.

De acordo com o projeto de lei, mensagens de alerta sobre os efeitos da ingestão de bebidas alcoólicas deverão ser colocadas nos locais de venda de cerveja que sejam visíveis a todos. “O torcedor tem o direito à liberdade de escolha, mas com consciência do prejuízo ao ingerir bebida alcóolica em excesso. Também serão sinalizadas mensagens sobre a proibição da venda de bebida a menores de 18 anos”, pontuou Romanelli.

Segundo Romanelli, o tema deverá ser debatido em audiência pública. “É um assunto que suscita polêmica. Mas temos que discutir, sem hipocrisia. O fato é que vários estados já liberaram a venda de cerveja nos estádios e os torcedores consomem bebida alcoólica no entorno das arenas esportivas. O consumo de cerveja dentro dos estádios não torna ninguém marginal ou criminoso”.

 

Romanelli apresenta projeto que regulariza venda de cerveja nos estádios do Paraná

 

cervaPor iniciativa do deputado estadual Luiz Claudio Romanelli (PSB), o projeto de lei que regulariza a venda de cerveja em estádios de futebol no Paraná será apresentado à Assembleia no próximo mês. O objetivo é que a venda seja liberada, mas também regulamentada.

De acordo com Romanelli, o projeto será aprofundado e debatido durante os trâmites da Casa. “É um projeto que levanta muitas opiniões diferentes, por isso deve ser muito bem dialogado, em profundidade. Todos os lados devem ser ouvidos, é claro”, afirmou o deputado.

Romanelli destacou que a bebida só não é vendida em jogos de futebol. “Nos demais eventos em estádios, como shows, UFC, e partidas de vôlei, a cerveja é comercializada normalmente e nem por isso acontece algo irregular”, disse o líder do governo. Ele lembrou durante a Copa do Mundo, em 2014, a venda da bebida foi liberada.

Para o deputado, a bebida não é a responsável pelos casos de violência do futebol, além de prejudicar o entretenimento dos torcedores e os comerciantes dos estádios. “O que temos que explicar é que, segundo pesquisas, a venda e consumo de cerveja não são a causa da violência praticada nos estádios. É uma bebida vendida no mundo inteiro. Inclusive em países onde as torcidas de futebol são mais violentas do que as daqui e nem por isso a venda foi proibida”, explicou.

Foto: Gazeta do Povo/Site 

  Projeto Vencer Araucária recebe título de utilidade pública

 

 

DSC02194Assembleia aprovou nesta quarta-feira (30) lei de autoria do deputado estadual Luiz Claudio Romanelli (PSB), que concede o título de utilidade pública estadual à Associação Esportiva Vencer (Projeto Vencer) do município de Araucária, Região Metropolitana de Curitiba (RMC). O projeto tem como objetivo contribuir com a formação cidadã de jovens através da prática esportiva.

De acordo com Romanelli, líder do governo na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), a Associação é merecedora do título, pois há 13 anos atua a favor do desenvolvimento da população jovem de Araucária. “São jovens de sete a 17 anos que participam de treinos semanais e também competições de futebol. Isso auxilia no desenvolvimento mental e físico, o que traz oportunidades nas modalidades”, afirmou.

O Projeto Vencer é uma associação civil, sem fins lucrativos, de caráter cultural, educativo, assistencial e filantrópico. Funciona desde 2003 e já possui título de utilidade municipal. “É um importante projeto, pois promove o incentivo de atividades esportivas e culturais a jovens e adultos, o que proporciona melhor qualidade de vida saudável e educativa”, concluiu Romanelli.

Foto – Projeto Vencer\Site