Amunpar recebe mais de R$ 500 mil em recursos

O deputado estadual Luiz Claudio Romanelli (PSB), líder do governo na Assembleia, participou nesta terça-feira (30), ao lado do governador Beto Richa e de prefeitos de todo o Estado, da solenidade para o repasse de R$ 122 milhões de uma de cota extra do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). O valor é referente ao pagamento do imposto por empresas que receberam incentivos fiscais do programa Paraná Competitivo para projetos de investimentos no Estado.

“O repasse de cota extra é possível devido ao planejamento financeiro adotado pelo Governo do Estado nos últimos anos”, disse o governador. “No Paraná amenizamos o impacto brutal da crise econômica aos 399 municípios, com investimentos sistemáticos em áreas estratégicas, porque entendemos que é responsabilidade do governo melhorar a vida das cidades”, concluiu.

De acordo com o deputado Romanelli, o repasse é possível graças as medidas de ajuste fiscal feitas no Paraná. “Hoje nosso estado segue com importantes investimentos em todos os setores. Mesmo com toda a crise financeira do país, o Paraná não parou de se desenvolver. Este repasse reforçará os caixas das prefeituras municipais que poderão pagar fornecedores, investir em obras e serviços de melhoria”, afirmou.

Os municípios da região Noroeste que Romanelli representa na Assembleia receberam um total de R$ 570. 632, 54. São eles:  Nova Londrina – R$ 139.791, 36; Tamboara – R$ 61.928, 75; Santa Mônica – R$ 69.394, 16; Santa Cruz de Monte Castelo – R$ 110.178, 30 e Querência do Norte  – R$ 189.339, 97.

O prefeito de Santa Cruz do Monte Castelo, Fran Boni, afirmou que os recursos extras permitem que os municípios, principalmente os menores, possam investir ou quitar suas dívidas. “No início do ano passado, as prefeituras também receberam uma cota extra do ICMS e, graças a ela, a maioria dos municípios conseguiu pagar seus fornecedores. Neste ano novamente estamos aqui para receber este recurso”, disse.

Governo repassa mais de R$ 1 milhão para municípios da Amunop

Ao lado do governador Beto Richa e de prefeitos de todo o estado, o deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), líder do governo na Assembleia, participou  nesta terça-feira (30) da solenidade para o repasse de R$ 122 milhões de uma de cota extra do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). O valor é referente ao pagamento do imposto por empresas que receberam incentivos fiscais do programa Paraná Competitivo para projetos de investimentos no Estado.

“O repasse de cota extra é possível devido ao planejamento financeiro adotado pelo Governo do Estado nos últimos anos”, disse o governador Beto Richa. “No Paraná amenizamos o impacto brutal da crise econômica aos 399 municípios, com investimentos sistemáticos em áreas estratégicas, porque entendemos que é responsabilidade do governo melhorar a vida das cidades”, afirmou.

De acordo com o deputado Romanelli, o repasse é possível graças as medidas de ajuste fiscal feitas no Paraná. “Hoje nosso estado segue com importantes investimentos em todos os setores. Mesmo com toda a crise financeira do país, o Paraná não parou de se desenvolver. Este repasse reforçará os caixas das prefeituras municipais que poderão pagar fornecedores, investir em obras e serviços de melhoria”,disse.

Os municípios da região Norte que Romanelli representa na Assembleia Legislativa, receberam um total de R$ 1.392.199,37. São eles: Cornélio Procópio – R$ 333.054,42; Congonhinhas – R$ 126.795,71; Assaí – R$ 162.772, 03; Nova América da Colina – R$ 58. 870, 17; Santo Antônio do Paraíso – R$ 58. 793, 36; Sapopema – R$ 63. 335, 50; Bandeirantes – R$ 186. 293, 68; Rancho Alegre – R$ 51. 172, 87; Santa Cecília do Pavão – R$ 48. 864, 37; Itambaracá – R$ 68. 541, 60; Nova Fátima – R$ 99. 252, 68 e Sertaneja – R$ 134. 452, 98.

O prefeito de Bandeirantes, Lino Martins, afirmou que o repasse será investido, primeiramente, no setor da saúde no município. “Neste primeiro trimestre, daremos uma atenção à aquisição de remédios, equipamentos para exames para melhorar o atendimento à população. Já consideramos o Romanelli um bandeirantense, pois ele é um deputado que, junto ao Governo do Estado, dá respaldo em todas as nossas necessidades”, disse.

Amunorpi recebe mais de R$ 1 milhão para investimentos

O líder do governo na Assembleia, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB), participou nesta terça-feira (30), ao lado do governador Beto Richa e de prefeitos de todo o Estado, da solenidade para o repasse de R$ 122 milhões de uma de cota extra do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). O valor é referente ao pagamento do imposto por empresas que receberam incentivos fiscais do programa Paraná Competitivo para projetos de investimentos no Estado.

“O repasse de cota extra é possível devido ao planejamento financeiro adotado pelo Governo do Estado nos últimos anos”, disse. “No Paraná amenizamos o impacto brutal da crise econômica aos 399 municípios, com investimentos sistemáticos em áreas estratégicas, porque entendemos que é responsabilidade do governo melhorar a vida das cidades”, disse o governador.

De acordo com o deputado Romanelli, o repasse é possível graças as medidas de ajuste fiscal feitas no Paraná. “Hoje nosso estado segue com importantes investimentos em todos os setores. Mesmo com toda a crise financeira do país, o Paraná não parou de se desenvolver. Este repasse reforçará os caixas das prefeituras municipais que poderão pagar fornecedores, investir em obras e serviços de melhoria”, afirmou.

Os municípios do Norte Pioneiro que Romanelli representa receberam um total de R$1.108.598,39. São eles: Guapirama – R$ 74.157,17; Carlópolis – R$ 131.346,88; Cambará -R$ 215.106,49; Joaquim Távora – R$ 234.900,02; Siqueira Campos – R$ 192.265,58; Salto do Itararé – R$ 41.005,69; Quatiguá – R$ 103.025,02; Barra do Jacaré – R$ 69.537,98 e Jundiaí do Sul – R$ 47.253,56.

Para a prefeita de Quatiguá, Adelita do Efraim (PTB), o repasse do ICMS dá mais autonomia às gestões municipais. “Este recurso é fundamental, porque complementa a receita do município para que ele saia um pouco do sufoco. Nos municípios pequenos, possibilita que programas de desenvolvimentos urbano e social tenham um investimento maior”, explicou.

Pró Tork adere ao Paraná Competitivo e gera mais empregos em Siqueira Campos

 

O governador Beto Richa assinou nesta quarta-feira (6) protocolos de intenção com duas empresas que receberão incentivos do programa Paraná Competitivo. A Sport Bay (empresa do grupo Pró Tork) e a Mercadomóveis ampliarão suas atividades de comércio eletrônico com investimentos totais de R$ 11,5 milhões, gerando 74 empregos diretos apenas em suas operações on-line.

O Estado, ressaltou o governador, trabalha ao lado de empresas que acreditam e investem no Paraná. “Sou um admirador das duas empresas pela capacidade empreendedora e pelo crescimento vertiginoso ao longo dos anos, gerando riquezas e muitas oportunidades de emprego aos paranaenses”, disse o governador Beto Richa.

A articulação para que a Sport Bay/Pro Tork fosse incluída entre as as empresa no Paraná Competitivo contou com atuação do deputado estadual Luiz Claudio Romanelli (PSB), líder do governo na Assembleia Legislativa, que destacou a importância de investir nesta forma de comércio.


De acordo ele, a readequação no ICMS para quando a mercadoria sai do estado é uma medida que já existe em outros estados e fará com que essas empresas do Paraná se equiparem à concorrência externa. “Destaco a ProTork pois é uma empresa do Norte Pioneiro, região que eu represento, e que é uma das maiores do setor em todo a América Latina. Com a integração ela amplia a sua competitividade e pode crescer, gerar empregos e desenvolvimento na comunidade onde atua. É uma ação que beneficia a empresa, seus funcionários, a cidade e o Paraná como um todo”, afirmou Romanelli.

 

Segundo o diretor-presidente da Sport Bay, Marlon Bonilha, o grupo já conta com incentivo do Paraná Competitivo para a fábrica de Siqueira Campos, que agora se amplia para o comércio eletrônico. “É uma iniciativa importante do governo apoiar os e-commerce nativos do Estado, para que tenham mais competitividade no cenário nacional. As vendas online representam, hoje, 30% dos ativos de venda do comércio nacional”, afirmou.

Por meio dos incentivos concedidos pelo programa, o grupo fará investimentos no valor de R$ 6,1 milhões, que deverão possibilitar incremento nas vendas e a contratação de 59 trabalhadores. A empresa, que é a maior fabricante de capacetes do mundo, planeja construir um centro de distribuição em Curitiba voltado especificamente ao comércio eletrônico.

“Paraná abriu mão de arrecadação em favor de empresas”, afirmou secretário da Fazenda

O deputado estadual Luiz Claudio Romanelli (PSB) participou na noite de quarta-feira (6) de reunião na Associação Comercial do Paraná para esclarecer sobre as alterações previstas para 2018 para empresas enquadradas no Simples Nacional. Ele acrescentou, durante o debate, a existência de um processo forte de desinformação.

“Alguns fizeram notas com verdadeiros absurdos. Mentiras foram divulgadas e causaram grande pânico”, comentou. “Temos de confiar nos números da Secretaria da Fazenda. Direito tributário não é para principiantes”, afirmou Romanelli.

O secretário de Estado da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, reafirmou que o Estado continuará com a menor tributação do País e acrescentou que, para atender pedidos de entidades de classes que atuam em defesa das micro e pequenas empresas, o Paraná vai ter redução de R$ 35 milhões na arrecadação de 2018.

De acordo com Costa, o projeto aprovado vai diminuir a carga tributária do pequeno empresário, porque foi estabelecida uma progressividade na tributação das empresas do Simples Nacional. Com isso, 74% das empresas serão beneficiadas. “Antes, apenas as empresas que faturavam até R$ 360 mil tinham esse benefício. Agora, ele será estendido a todas elas, que terão isenção nos primeiros R$ 360 mil de faturamento”, afirmou.

“O projeto do Governo não tem a finalidade de aumentar a arrecadação, mas apenas adaptar a tributação das empresas paranaenses à nova lei nacional”, disse o secretário.

“Para a pequena faixa que teria aumento na tributação, discutimos na Assembleia Legislativa um limitador. Só pode crescer, no máximo, 20%, que foi uma trava que pactuamos com as entidades. Na arrecadação global do Estado haverá redução de R$ 35 milhões, tendo em vista que não há trava para redução, sendo que parte das empresas que hoje pagam ficarão isentas de ICMS”, acrescentou.

Sobre a perda prevista para o Estado, o secretário disse que ela terá de ser compensada com redução de despesas e melhoria na eficiência na arrecadação. Durante a reunião, o secretário ouviu declarações de apoio e também de preocupação, mas comentou que houve “muitos equívocos” na interpretação do texto e garantiu que o governo acompanhará a evolução da arrecadação em 2018 e fará ajustes, caso necessário.

 

Romanelli diz que não haverá aumento do ICMS para microempresas

 

“Querem criar artificialmente na opinião pública a sensação de que vai haver aumento do imposto em 256%. Não é verdade”, diz Romanelli

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Luiz Cláudio Romanelli (PSB), desmente as falsas informações de que haverá aumento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para microempresas em razão de projeto enviado pelo Executivo, que prevê mudanças na forma de cálculo do imposto para empresas enquadradas no Simples nacional.

 

De acordo com Romanelli, o projeto apenas adapta a legislação estadual às alterações promovidas na lei federal. “O Paraná está se adequando aos termos do Estatuto das Microempresas. Havia 20 faixas de tributação para o Simples Nacional mas, a pedido das empresas e para simplificar os processos, o Congresso Nacional reduziu para seis faixas, de acordo com o faturamento anual e o segmento de atuação (comércio, indústria ou serviços). O projeto enviado pelo governo faz a adequação das quantidades e os intervalos das faixas de tributação”, explica Romanelli.

 

Segundo o líder do governo, não haverá nenhum aumento da carga tributária sobre o contribuinte ou microempresário. “Querem criar artificialmente na opinião pública a sensação de que vai haver aumento do imposto em 256%. Não é verdade”, explica.

 

Ele destacou ainda que o Paraná manterá isenção do ICMS para empresas que faturam até R$ 360 mil ao ano. “A tributação do Simples Nacional no Paraná continuará sendo a menor do Brasil, ao não tributar os primeiros R$ 360 mil de faturamento anual”, diz Romanelli.